21 de mar de 2013

Questão comentada 3º ano: Simbolismo


Leia o texto:


Eis que temos aqui a Poesia,
a grande Poesia.
Que não oferece signos
nem linguagem específica, não respeita
sequer os limites do idioma.
Ela flui, como um rio.
Como o sangue nas artérias,
tão espontânea que nem se sabe como foi escrita.
E ao mesmo tempo tão elaborada -
feito uma flor na sua perfeição minuciosa,
um cristal que se arranca da terra
já dentro da geometria impecável
da sua lapidação.
(...)       Rachel de Queiroz


Conforme seus conhecimentos, explique por que é possível afirmar que o poema de Rachel de Queiroz, escritora modernista, expressa tendências da poesia de fins do século XIX no Brasil e a qual escola literária ele remete. Cite passagens do texto que comprovem sua resposta.

RESPOSTA ALMEJADA:
Rachel de Queiroz, escritora modernista, expressa características do Parnasianismo, estética brasileira que vigorou em fins de século XIX, ao demonstrar a valorização da arte de escrever poesia, "a grande poesia", da arte que se propõe a escrever arte, sem preocupação social. A aproximação do trabalho do poeta ao dos artistas plásticos é a demonstração da busca pela perfeição formal, típica do Parnasianismo. São exemplos que comprovam a influência parnasiana no texto de Rachel de Queiroz:
"E ao mesmo tempo tão elaborada -
feito uma flor na sua perfeição minuciosa,
um cristal que se arranca da terra
já dentro da geometria impecável
da sua lapidação."



Leia atentamente os textos a seguir:
Texto 1: Alphonsus de Guimaraens (Afonso Henriques da Costa Guimaraens), nasceu em Ouro Preto (MG), em 1870 e faleceu em Mariana (MG), em 1921. Bacharelou-se em Direito, em 1894, em sua terra natal. Desde seus tempos de estudante colaborava nos jornais “Diário Mercantil”, “Comércio de São Paulo”, “Correio Paulistano”, “O Estado de S. Paulo” e “A Gazeta”. Em 1895 tornou-se promotor de Justiça em Conceição do Serro (MG) e, a partir de 1906, Juiz em Mariana (MG), de onde pouco sairia. Seu primeiro livro de poesia, Dona Mística, (1892/1894), foi publicado em 1899, ano em que também saiu o “Setenário das Dores de Nossa Senhora. Câmara Ardente”. Em 1902 publicou “Kiriale”, sob o pseudônimo de Alphonsus de Guimaraens. Sua “Obra Completa” foi publicada em 1960. É considerado um dos grandes nomes do Simbolismo. Sua obra é perpassada pela tragicidade que marcou sua biografia pessoal. Fonte: http://www.releituras.com/alphonsus_ismalia.asp. Acesso em 05 de março de 2013.
Texto II: ISMÁLIA


Quando Ismália enlouqueceu,
Pôs-se na torre a sonhar...
Viu uma lua no céu,
Viu outra lua no mar.

No sonho em que se perdeu,
Banhou-se toda em luar...
Queria subir ao céu,
Queria descer ao mar...

E, no desvario seu,
Na torre pôs-se a cantar...
Estava perto do céu,
Estava longe do mar...

E como um anjo pendeu
As asas para voar...
Queria a lua do céu,
Queria a lua do mar...

As asas que Deus lhe deu
Ruflaram de par em par...
Sua alma subiu ao céu,
Seu corpo desceu ao mar...



Texto III: PRÉ-HISTÓRIA


Mamãe vestida de rendas
Tocava piano no caos.
Uma noite abriu as asas
Cansada de tanto som,
Equilibrou-se no azul,
De tonta não mais olhou
Para mim, para ninguém!
Cai no álbum de retratos.



In: MENDES, Murilo. Poesia Completa e Prosa. Organização, preparação do texto e notas, por Luciana Stegagno Picchio. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1995.
Usando como referência as informações obtidas através da explanação do conteúdo em sala de aula, seus conhecimentos sobre o Simbolismo e a biografia de Alphonsus de Guimaraens, produza um parágrafo-texto de, aproximadamente, 10 linhas, demonstrando como as características simbolistas, dentre elas a influência mística, onírica e subjetiva permeiam a obra do autor, e como tais influências refletem raízes da vida do mesmo. Demonstre, ainda, de que modo é possível reconhecer ecos da produção do poeta mineiro na escrita moderna de Murilo Mendes, em “Pré-história”.
No momento de produzir seu parágrafo-texto, fica atento:
- Uma resposta a uma questão dissertativa, por menor que seja, é sempre um texto. Sendo assim, seja claro,  coeso, coerente.
- Não responda às questões copiando frases dos textos motivadores. Leia, atentamente, o material que está  sendo analisado e construa a resposta com o seu  próprio discurso. Os recortes de frases devem ser feitos apenas quando se tratar de exemplos, respeitando, inclusive, o uso das aspas. 

RESPOSTA ALMEJADA: 

Alphonsus Guimaraens, escritor simbolista, teve sua trajetória pessoal marcada pela trágica perda da noiva, Constança. O acontecimento deixou marcas na carreira do autor, uma vez que sua poética é repleta de imagens referentes à morte, ao transcendentalismo, ao espiritual. No poema "Ismália", a descrição da loucura da moça que se expõe no alto de uma torre, no intuito sonhador de alcançar a "lua do céu" e a "lua do mar", expressa a atmosfera de morte do poema de Alphonsus. Murilo Mendes, representante da poética modernista, retoma as imagens oníricas ensaiadas pelo poeta de Ouro Preto em "Pré-História". Aqui, a lembrança infantil da loucura da mãe que "tocava piano no caos" e que torna-se apenas recordação, "cai no álbum de retratos", denuncia a influência da estética simbolista na poesia moderna ao enunciar a atitude suicida da mulher. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Flickr