27 de jul de 2011

Urgência de encanto

Gosto de pessoas simples, daquelas que conseguem exalar simplicidade, mesmo contendo em si todo o glamour do mundo. Venero gestos delicados, demonstrações de afeto e boa educação.
Questão de berço? Não sei... Queria saber traduzir esta urgência de encanto, já que sobrevivemos num tempo de tantas distâncias, friezas e desencontros.

Renascendo

Mesmo com algumas dores e desilusões inomináveis na bagagem, não sei desistir.
É com a Palavra da Vida, poesia e boas rimas que almejo limpar dos olhos as lágrimas
e preparar um novo passo de dança.
 Que venha o recomeço, a leveza e o aconchego de viver um dia de cada vez.
Abertas estão as portas e as janelas: entre vento novo, brilhe aqui Sol da Justiça

Seja bem-vinda, calmaria

Sinto cheiro de esperança e um gosto doce de algo mais.
Seja bem-vinda, calmaria, depois dos tempos de vento forte e sabor amargo na saliva, que suportei calada, sufocando e vencendo a dor, justamente por insistir em ser FELIZZZZZZZZZZZZ!!!!!!!

24 de jul de 2011

Dependência


Tu és oásis no deserto
Água fresca em dia quente
Se eu não parar pra beber de ti
Eu não poderei prosseguir

Diante do Trono

23 de jul de 2011

Arco-íris

Que dias eram aqueles? Não dava pra definir. Havia por dentro uma sensação de sol e chuva: sol queimando as ilusões e chuva trazendo-as para fora. Tão à flor da pele que se entregava à paixões unilaterais, insanas, desconexas da verdade de quem era e do que precisava para si. Necessidade mesmo era não sofrer e dessa não escapava, apesar de reconhecer na carga passageira do sofrimento o passaporte para o amadurecer de que tanto precisava. Mas que dias eram aqueles? No calendário da vida, ali deveria estar escrito "equívoco". Não era. Realidade de sol e chuva fatidicamente preparada. Foi percebendo isso que, finalmente, no espelho do seu ser, viu a grandeza de quem criou sol e chuva iluminá-la e secar o dilúvio derramado no prazo de sete dias. Notara então que só depois das muitas águas derramadas é que viera a aliança do arco-íris! E essa, Ma Belle, permaneceu irrevogável. As outras coisas não!

15 de jul de 2011

Poses delicadas


"ela é uma moça de poses delicadas, 
sorrisos discretos e olhar misterioso.

ela tem cara de menina mimada, 
um quê de esquisitice, uma sensibilidade de flor, 
um jeito encantado de ser, um toque de intuição 
e um tom de doçura. 

ela reflete lilás, um brilho de estrela, uma inquietude, 
uma solidão de artista e um ar sensato de cientista. 

ela é intensa e tem mania de sentir por completo, 
de amar por completo e de ser por completo. 
dentro dela tem um coração bobo, 
que é sempre capaz de amar e de acreditar outra vez. 

ela tem aquele gosto doce de menina romântica 
e aquele gosto ácido de mulher moderna.”



Caio Fernando Abreu

O resto ao acaso

Desisti de salvar o mundo
quero salvar somente o dia
salvar a alegria do nosso encontro
então me preocupo em manter
a doçura do rosto
a leveza do traço
o balançar do corpo
meu corpo em teu abraço
então me despreocupo
me ocupo ao teu agrado
é isso que vale
o resto ao acaso.
Cáh Morandi

Suspirante

Eu não posso te prometer estar aqui pra sempre, e te fazer feliz a todo momento. Mas aqui estamos nós, e eu te prometo te fazer feliz agora, e olhar nos teus olhos agora, e afagar teu cabelo agora, e te amar com todas as forças agora, e não te deixar agora. Porque o agora é tudo o que nós temos, e eu quero estar agora com você, fazendo de cada agora nossa eternidade.

[Neemias Melo]
 Do blog: http://rabiscandoamor.blogspot.com/

1 de jul de 2011

Incômoda

Uma das maiores lutas que por vezes sinto espreitar meus olhos é aquela que travo contra mim. Ou talvez contra o não saber defender-me das expectativas alheias, as quais acabam se tornando minhas e entrando para a lista das coisas que "se tem que ter, fazer ou viver". Chato isso! Minha solteirice incomoda e me faz alvo de comentários que me expõem. Já o incômodo que sinto por tanto tempo sozinha não é maior que a vontade que tenho de encontrar a pessoa certa, aquela que se ajustará aos meus valores e eu aos dela. Não gosto que me olhem como a triste solitária ou propagandeiem-me como se aqui morasse um ser que está em busca de alguém, seja lá quem essa pessoa for. Não! Tenho amor próprio, gosto de ser quem sou, encontro beleza no meu sorriso largo e não invejo as altas e curvilíneas. Com corpo mignon, estou mais para menina que para mulher, coisa que (pasmem!)amo! Não sinto falta de ter corpão, não me assemelho às hortifrutigranjeiras. Minha ambição é ver minh'alma vestida de grandeza, mesmo no meu manequim 36.
Como todo mundo, sonho com um amor verdadeiro, acho que viver apaixonado é uma das belezas da caminhada nesta Terra fria e penso que inverno e calor de namorado combinam como queijo com goiabada. Não sou santa, mas se quiserem uma namorada devassa, uma companheira para a balada ou para dividir o gosto por sabores alcoólicos não sirvo mesmo. Apesar disso, garanto que sem graça e insossa não são palavras que combinam com quem sou. Nem de longe!
Na vida, o medo que tenho é de não ser feliz, sozinha ou acompanhada.
Já me deixaram uma vez, nem por isso quero deixar alguém. Quero achar liberdade sendo presa da minha presa. Meu anseio é amar sem querer ir, sem me despedir, nem do outro nem de mim. 

Flickr