24 de fev de 2010

Marketing Pessoal: entrevista com Mário Persona

Mais um material valioso para vocês, futuros ocupantes das melhores vagas em Montes Claros!

Marketing Pessoal: entrevista com Mário Persona (Texto Adaptado)


Como o senhor define marketing pessoal? Quais são seus pontos relevantes?

Mario Persona - Marketing pessoal é um conjunto de ações e atitudes adotadas pelo profissional com a finalidade de revelar o que tem de melhor para o mercado e criar relacionamentos de confiança. Não difere muito do marketing de produto na forma como é planejado e colocado em prática, mas possui um grau bem maior de sutilezas, já que estamos falando de um "produto" que é vivo, fala, anda, tem sentimentos e que não pode ser tirado do mercado para ser oferecido em nova versão, ou com o qual não é possível fazer um recall para trocar peças. Se o "produto" não funcionar, dificilmente ele consegue voltar ao mesmo mercado. O ponto principal do marketing pessoal está em ter e ser algo de valor para o mercado. Isso não se consegue de uma hora para outra porque envolve, além de competências adquiridas, caráter, postura, atitude, temperamento e tantas outras coisas que são inerentes da natureza humana, muitas delas vindas do berço. Outro ponto está na bagagem, que no marketing pessoal é o conhecimento que a pessoa é capaz de transformar em um produto de valor para seu mercado. Isso exige habilidade, já que há muita gente que sabe muito e não consegue vender nada de si, enquanto outros com um conhecimento mediano têm e vendem exatamente aquilo que é percebido como valor por seu mercado.

Em que situação/momento da vida de um profissional o marketing pessoal realmente se faz necessário? Existem aquelas que se negam a melhorar e por isso pagam caro por isso?
Mario Persona - Em todas as situações e momentos da vida, o profissional precisa se preocupar com a aplicação na prática de seu plano de marketing. Sim, ele deve ter na cabeça um plano de como pretende se posicionar no mercado, para que público, com que habilidades, preço e resultados. Exatamente como você faria com o marketing de um produto. Embora eu dê exemplos assim, que estão mais relacionados à imagem, é importante lembrar que marketing não é propaganda, mas um conjunto de ações das quais a propaganda é uma das ferramentas promocionais. Aliás, no marketing pessoal a propaganda convencional é a que deve ser menos utilizada, pois sempre deixa aquela impressão de "querer aparecer". O ideal é que o profissional seja visível, mas que deixe a publicidade por conta de clientes e amigos satisfeitos que tenham prazer em divulgar seu nome e trabalho.

A pessoa corre o risco de abusar das estratégias de marketing e passar uma imagem arrogante? Como evitar os excessos?
Mario Persona - Sim, certamente. Nem sempre é fácil evitar isso pela grande diversidade de reações e leituras que as pessoas fazem de uma imagem. Por exemplo, para alguns ter sua foto no site pode passar uma ideia de familiaridade e de coragem de se expor, de mostrar a cara. Isso pode ser visto por alguns como uma forma de o profissional dizer que é um ser humano que está ali, com todas as rugas e imperfeições de um ser humano, mas que também não se esconde atrás de uma logomarca ou de alguma foto comprada mostrando uma equipe feliz. Por outro lado alguns podem interpretar a simples presença de uma foto como auto-promoção e vontade de aparecer. O profissional deve ponderar que público pretende atingir e como esse público irá interpretar sua maneira de expor sua imagem. Eu adotei, para meu trabalho, a imagem daquilo que eu sou no dia-a-dia, extremamente brincalhão, um pouco irreverente e sempre rindo de alguma coisa. Isso pode não atrair pessoas com uma mente mais cartesiana, que buscam uma imagem séria para um consultor. Mas como meu foco hoje está mais colocado em palestras e treinamentos, que necessariamente devem ter alguma dose de humor para as pessoas não dormirem, entendo que minha imagem condiz com meu trabalho e com o tipo de público que pretendo atingir. Em outras circunstâncias eu seria obrigado a alterar esse estilo de exposição. Os excessos também têm dois lados. O que pode ser visto como excesso por alguns será interpretado como inovação por outros.

Quais as qualidades naturais de uma pessoa que o marketing reforça? E quais os defeitos que ele, digamos assim, pode disfarçar?
Mario Persona - Uma pessoa com facilidade de comunicação terá alguma vantagem em seu marketing pessoal, pois será capaz de interagir com mais gente. Relacionamentos, virtuais ou pessoais, também valem ouro nessa área. Todavia, mesmo pessoas menos comunicativas e com poucos relacionamentos podem ter sua capacidade potencializada graças ao seu conhecimento singular e à satisfação que conseguem gerar nos clientes atendidos. Eles se incumbem de divulgar seu trabalho e indicá-lo. O contrário é o problema. Pessoas arrogantes, prepotentes, que não conseguem se relacionar ou que tratam todo mundo mal estão com os dias contados nessa nova economia onde é impossível ficar conhecido apenas em um pequeno círculo.

Mario Persona é consultor, escritor e palestrante. Veja em http://www.mariopersona.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Flickr