18/08/2009

Oficina de Comunicação Gabarito "Variações Linguistícas"



A- Não. Aristarco emprega uma linguagem formal (“biltre”, pusilânime); Praxedes fala de maneira mais coloquial, às vezes com gírias (“quadradão, panaca); o boy fala de maneira extremamente coloquial (emprega gírias, simplifica a pronúncia, não estabelece concordância)

B- Ele quis dizer que conseguiu entender o que eles falavam.

C- Na minha opinião, estes senhores estão fora de si. Começaram a falar difícil, irritaram-se e aquele ali, ofendeu a mãe do outro. Levou um tapa, ficou furioso e reagiu com um soco. Então, rolaram pelo chão e se esmurraram até desmaiar.

4 – Letra D

Exercícios de Aplicação

1- O humor se realiza por meio da alteração repentina do nível de linguagem: no início eles se tratavam com excessiva polidez, depois usaram uma linguagem agressiva e vulgar.
2- a- Os nossos salários, com relação ao que nós fazemos e ao lucro que os outros têm, são insignificantes. Por que acontece isso? Eu tenho que trabalhar trezentos e sessenta e cinco dias por ano, mas o outro não trabalha nem cem dias e ganha muito mais. Porque eu sou a máquina que possibilita descanso a ele.
b- Ele analisa o problema da exploração a que é submetido em seu trabalho. Sua opinião revela indignação; ele não aceita passivamente essa injustiça.

3- a- 1975
b- através da data de publicação da Revista e também através das outras datas: pouco provável que se usassem os termos “saca”, “descolar” nestes períodos.
c- O anúncio é destinado a jovens de classe média.



4- a- variação sociocultural
b- Ao afirmar, vão construindo telhados, ele revela respeito por esses falantes, valorizando-os pela importância de sua função social. Fica claro que, para o autor a maneira de falar é irrelevante, o que importa aqui é a função social da comunicação e da linguagem.

5- O do diálogo B, pois ele utiliza uma linguagem mais informal, até mesmo com gírias.
6- A- “um barato” e “furado”
B- O humor decorre das interpretações diferentes que filho e mãe dão as expressões.

Encare esta!
a- O autor emprega uma linguagem direta, coloquial, sem meias palavras, além disso, faz uso de gírias e termos da linguagem vulgar. A pronúncia também é descuidada.
b- Sim . A escolha do nível de linguagem e do vocabulário está perfeitamente adequada aos destinatários da mensagem. O autor procura falar a mesma língua dos detentos e empregar palavras expressões utilizadas por eles.

Um comentário:

  1. Dani, o blog está muito legal. Obrigada por compartilhar conosco o seu conhecimento...

    ResponderExcluir

Flickr